My Mad Fat Diary: Identifique-se com Rae Earl.

A história da Rae, personagem da série My Mad Fat Diary, pode parecer não ter nada de excepcional, afinal ela é só mais uma adolescente cheia de inseguranças que busca fazer amigos, que vive brigando com a mãe e que tem medo de decidir, ainda na adolescência, sobre seu futuro.

Logo de cara, quando eu a conheci, através de um amigo meu que nos apresentou, a achei bem clichê, mas por sorte continuei a acompanhar sua história e pude ver o quão incrível a Rae era: uma garota inteligente e engraçada, mas que como muitas outras garotas que conheço, não conseguia ver o melhor que tinha em si mesma.

Apesar de ter tudo para me fazer chorar do inicio ao fim – afinal, ela tinha acabado de sair de um hospital psiquiátrico em que ficou internada por quatro meses depois de tentar cometer suicídio – a história da Rae me fez dar ótimas risadas e era muito bom poder acompanhar a volta dela para o “mundo real” depois dessa experiência de quase morte.

Rae Earl

A verdade é que olhar para a vida da Rae me fez enxergar minha própria vida, suas inseguranças muitas vezes eram as minhas inseguranças: lembro quando a melhor amiga da Rae, Chloe, a convidou para uma festa na piscina e ela começou a ficar super ansiosa só de pensar em aparecer de biquíni na frente dos colegas.

Isso sem falar nos amigos dela, que são incríveis. Izzy, Chop, Artie, Chloe e Finn evoluíram junto com ela e me fizeram ter vontade de fazer parte da “gangue” deles. A relação dela com a Chloe foi a que mais me tocou. Chloe é aquela amiga que achamos que é mais bonita e popular que a gente, que parece ter a vida perfeita, mas que na verdade é tão insegura quanto nós, basta que enxerguemos além das aparências e das disputas que nós mulheres somos ensinadas a ter uma com as outras. É lindo ver a amizade das duas amadurecendo e se tornando mais sincera e leal. Na verdade, todas as relações da Rae evoluem, e no fim você percebe que muitos dos problemas dela só existiam porque ela estava insatisfeita consigo mesma.

A Rae me ensinou que por mais clichê que seja, não conseguimos amar os outros se antes não amarmos a nós mesmas. Ela me ensinou, mesmo sem querer, que dá sim pra sermos felizes nos momentos mais difíceis e ela também melhorou meu gosto musical – confesso que estou viciada em rock dos anos 90.

Rae Earl 2

Por isso, mesmo não parecendo nada excepcional, My Mad Fat Diary foi uma das séries que mais me marcaram e que super recomendo a quem quiser ver. É simplesmente a história de uma adolescente que busca amar a si mesma para poder apreciar as maravilhas que acontecem ao se redor. Se você for assistir, prepare-se para rir e chorar muito, pois passar pela adolescência nunca é fácil, ainda mais quando se tem problemas mentais.