Various & Sundry Villains (13X12) foi dirigido por Amanda Tapping, e escrito por Steve Yockey. Este episódio está repleto de amor e magia, mas não de uma maneira encantadora muito pelo contrário, de fato se tem amor e magia porém a forma como são utilizados demonstram que nem sempre é bom juntar estas duas forças tão poderosas.

O alvo de todo esse amor mágico é ninguém menos que Dean Winchester. Sim, isso mesmo, um dos caçadores solteiros mais cobiçados encontrou seu grande amor. Entretanto, esse grande amor é uma grande ilusão, já que foi usado nele um feitiço chamado “Aegrota Amore” para ele se apaixonar perdidamente, tudo isso faz parte do plano de duas irmãs bruxas chamadas Jamie e Jennie.

Este feitiço de amor é apenas uma distração para elas conseguirem o grimório negro, um dos livros de feitiços mais poderosos do mundo. Falando sobre poder, enquanto os Winchesters procuram uma forma de trazer Jack do universo alternativo, eles se questionam por onde estará o Cass que não atende às ligações. Mal sabem eles que Castiel ainda está preso no inferno junto de Lúcifer sendo refém de Asmodeus, que está usando os dois como vantagem em uma briga que nunca mais foi vista nos episódios, simplesmente se esqueceram de dar continuidade a este lado da história.

Enquanto Lúcifer está enfraquecido sem a sua graça, não há muito o que se possa fazer, exceto por Castiel que o provocou dizendo coisas sobre o Jack ser bem diferente dele e o quanto Jack é bondoso e emotivo completamente diferente de seu pai Lúcifer. E sobre ele estar tão enfraquecido sem sua graça, que não consegue destruir sua criação mais fraca, essa provocação toda por parte do Castiel não foi sem motivo, foi uma forma de impulsionar a raiva de Lúcifer para que ele conseguisse recuperar, ao menos parte, seus poderes, o que deu um pouco de resultado, podemos esperar um futuro confronto de Lúcifer contra Asmodeus.

Infelizmente por estar sob o efeito desse feitiço, Sam acaba tendo uma luta contra o Dean, e enquanto isso as irmãs bruxas roubam o Grimório Negro. Para a nossa alegria, o roubo do Grimório traz de volta a bruxa mais poderosa e querida de Supernatural, a própria Rowena, que fez um feitiço de localização para sempre saber onde ele está. Para a sorte dos Winchesters ela tem sempre uma carta na manga e sempre nos surpreende com as suas aparições repentinas, e sempre volta da morte, o que é uma pena que ela não tenha feito o mesmo feitiço para o Crowley, que foi morto na season finale da temporada passada, quando ele se sacrificou pelos Winchesters para matar Lúcifer.

Essa notícia deixou a Rowena de coração partido, ela própria disse que prefere um filho que a odeie e esteja vivo, do que um filho herói morto. Mesmo com relutância Dean e Sam concordam que o melhor é trabalharem com Rowena, que sabe exatamente onde está o Grimório Negro, que está sendo usado por Jamie e Jennie para realizar um feitiço de ressurreição na mãe delas.

O episódio dessa semana girou em torno de relações familiares entre mães – pais e filhos. De um lado duas bruxas tentando trazer a mãe de volta dos mortos, e do outro um anjo e seu “afilhado”, o próprio Lúcifer tentando encontrar seu filho e a Rowena lidando com o luto de ter perdido o seu único filho para Lúcifer, que já a matou  uma vez, além de ter revelado o seu verdadeiro rosto, o que a deixou ainda mais assustada. Isso só faz com que a dor que ela sente seja pior do que somente um luto tradicional. Isso tudo é somente parte do motivo pelo qual ela está tão interessada em recuperar todos os seus poderes, usando um feitiço do Grimório. Ela vai se sentir um pouco menos indefesa.

Além de termos esse lado mais humano da Rowena, temos um momento muito bem elaborado onde ela e Sam compartilham suas piores lembranças do tempo que passaram com Lúcifer, e como isso tem afetado a eles até agora. E o mais importante é que isso é algo sobre o qual ele não conversa nem mesmo com o Dean, por não se sentir à vontade em tocar nesse tipo de assunto. Será que a Rowena irá manter uma amizade com um dos Winchesters? Assim como fez seu filho Crowley?

Esta conversa apenas aconteceu porque o Sam ficou vigiando a Rowena dentro do Impala, enquanto o Dean busca por informações sobre onde podem estar as irmãs bruxas. O encontro com as irmãs desencadeou diversas reviravoltas, que deram um toque especial ao episódio. Sem falar da repentina amizade improvável entre Sam e Rowena, finalmente temos um episódio que surpreende e emociona e faz com que Supernatural volte ao estilo imprevisível algo bem esperado pelos fãs.

Além de uma explicação clara para o comportamento frio e distante do Sam, que resultou em seu péssimo desempenho no episódio anterior, que deixou a desejar, como forma de compensar ele se mostrou totalmente comprometido dessa vez, além de se sentir à vontade para finalmente contar ao Dean pelo que ele passou e como isso o tem afetado nesses últimos tempos. Tirar esse peso do peito fez bem ao Sam, pois agora o Dean já sabe como lidar com ele daqui pra frente. E isso pode algo bom ou ruim tudo dependerá do rumo que a história seguir daqui pra frente.

Confira promo do próximo episódio: