Supergirl 3×13 – Both Sides Now: No final das contas é tudo sobre esperança e acreditar que todo mundo tem pelo menos um pouco de bondade no coração, certo?

Desde que conhecemos a Kara, não teve uma única vez que ela não tentou ganhar o vilão com um discurso sobre bondade. Algumas vezes deu certo, nas outras, bom… Nem todo mundo pode ser salvo. É assim na vida real, então nada mais justo do que ser assim nas séries também.

A mesma bondade que Kara viu nos olhos de Reign em Fort Rozz, ela viu nos olhos de Purity/Julia em Both Sides Now. Agora ela sabe que existe duas pessoas brigando constantemente pelo controle do corpo e que se usar as palavras certas as chances de salvar a boa pessoa são altas.

Claro que precisou de um episódio inteiro para que as irmãs Danvers resolvessem ir no caminho do amor ao invés do caminho da dor. Alex não estava sendo muito cooperativa durante a nova tática de interrogação da Kara. Graças a isso, nos dando ótimos momentos das nossas irmãs favoritas, e também mostrando o quanto Alex está quebrada.

É interessante como cada Matadora de Mundos tem um poder diferente. Reign tem todos os poderes de um kryptoniano só que mesmo assim ela é mais poderosa do que eles. Purity tem um grito do canário (saudades Laurel Lance) e consegue ver através das pessoas.

Foi pesada todas as coisas que ela falou para Alex. Mas, só expor a maneira que a agente estava se sentindo para justificar todo o comportamento dela. Justificar o motivo dela ter passado o episódio inteiro duvidando da Kara, sendo que ela viu com seus próprios olhos que Kara consegue mudar as pessoas sim. Ela fez Psi trabalhar com ela sem traí-la, então merece sempre um voto de confiança.Alex está destruída. Não tem nem como culpa-la por sentir-se assim. Ela terminou com a Maggie, mas como um relacionamento pode ir para frente quando as duas pessoas querem coisas diferentes? Só porque elas terminaram não significa que o sentimento sumiu. Nós não namoramos a Maggie por mais de um ano, não ficamos noiva dela, mas acompanhamos todo o desenrolar da história, nós fazíamos parte desse relacionamento também, por isso que mesmo assim ainda não superamos o término desse noivado, então como podemos exigir algo assim da Alex? Na verdade, eu quero que Alex não supere mesmo a Maggie, pois assim quando ela voltar (pois acredito com todas as minhas fichinhas de shipper iludida que ela voltará) meu Sanvers vai poder ter seu endgame com direito a muitos filhos.

Embora Purity seja poderosa, ela ainda é fraca. Ela ainda não consegue ter o mesmo controle que a Reign tem diante as palavras de Kara. Somente de falar na melhor a amiga e perceber que alguém estava em perigo, a oscilação entre Purity e Julia começou e, no final, Julia ainda conseguiu vencer, sendo responsável pela decisão que Kara tomou de salvar as Matadoras de Mundo, não derrota-las.

Isso era tudo que precisávamos ouvir. Podemos gostar de todas as brigas, podemos gostar de ver estações de metrô sendo destruídas, mas nós não gostamos nenhum pouco da ideia de Sam morrer. Ela não merece isso, ela merece se livrar da Reign de vez, da mesma forma que Julia também merece se livrar da Purity. Elas são boas pessoas e, embora tenham sido criadas para governarem o planeta, elas não sabiam disso. Elas passaram uma vida inteira sem saber disso, então é injusto elas não poderem ter suas vidas de volta.Supergirl está ótima de elenco feminino, não está? E Krys Marshall foi mais uma excelente adição. Eu, sinceramente, não lembro dela em This is Us, mas com toda certeza ela deixará sua marca em Supergirl.

Purity pode não ter tido todo o desenvolvimento da Reign desde o primeiro episódio. Nós podemos não ter entrado na vida de Julia da mesma forma que entramos na vida de Sam, mas a atuação de Krys desde o momento que Julia se assusta com a Supergirl em sua casa já mostra que a menina não está para brincadeira e, assim como Odette Annable, Krys Marshall está empenhada para termos a melhor história de vilãs de todas as séries atuais de heróis da CW.

Enquanto todas as atrizes estão empenhadas em nos dar uma história 10/10, não podemos dizer o mesmo dos roteiristas que insistem nessa história do Mon-El, sendo que a única coisa que queremos é que ele pegue a nave dele e volte para o século XXXI.

Continuam tentando desenhá-lo como alguém que mudou, mas cadê essa mudança? J’onn disse que ele guarda segredos para proteger as pessoas, mas proteger do que? Quando ele escondeu da Kara que era o príncipe de Daxam, ao invés de proteger a Terra, ele quase acabou causando uma Terceira Guerra Mundial. Quando ele escondeu da Kara que era casado, só fez com que ela se machucasse mais quando descobriu a verdade, tendo em vista que por algum tempo, com toda certeza ela se iludiu achando que eles poderiam voltar ao relacionamento que tinham antes. Ele esconder toda sua confusão sentimental da Imra, brigando com ela sem motivo algum é tentar proteger quem? A única pessoa que me vem na cabeça é ele mesmo. Mon-El mente e omiti as coisas porque é um egoísta que não pensa em mais ninguém a não ser em si mesmo.

Saber que o casamento de Mon-El com a Imra foi arranjado faz muito sentido, pois nenhuma mulher em sã consciência se prestaria ao papel de casar com um lixo espacial desses. Infelizmente Imra se apaixonou, agora vai sofrer tudo que a Kara já sofreu quando estava apaixonada por ele.

Imra e Kara apaixonadas pelo Mon-El seria uma excelente história para retratar quando nós falamos para aquela amiga que ela merece muito mais, caso a todo segundo o roteiro não tentasse mostrar – falhando miseravelmente – que Mon-El é sim um moço bom que as mulheres têm sorte em se apaixonar. Sorte não sei na onde e não sei pra quem.

Agora Irma que tem um segredo sobre o verdadeiro motivo deles estarem na Terra. Não faço a menor ideia do que seja, mas querem apostar quanto que isso vai causar o fim do casamento de Imra e Mon-El e ainda vão usar seja qualquer que seja esse segredo para que ele fique no século XXI? Espero estar errada, espero que Mon-El seja mandado para o espaço, literalmente, mais uma vez, mas é de Supergirl que estamos falando, podem estar acertando no plot da Reign, mas como eu disse na review passada, eles não conseguem fazer uma série completamente boa.Por fim, mas não menos importante, pelo contrário, a segunda coisa mais importante de Both Sides Now foi Lena descobrindo o que tem de errado com a Sam. Isso foi tudo que eu pedi para essa história. Pois ninguém pode jogar na nossa cara uma amizade entre Sam e Lena de anos e não aproveitarem isso. Lillian Luthor mandando uma direta para a filha veio mesmo em um bom momento.

A cena foi linda. Lena em nenhum momento ficou com medo da Sam. Qualquer pessoa tentaria manter distância por não saber com o que está lidando, mas Lena Luthor não é qualquer pessoa. No momento que Reign tomou conta do corpo, mandando com que Lena ficasse quieta, foi ali que a empresária juntou as coisas. No episódio Reign, Lena já havia visto Sam agindo daquela mesma maneira, a única diferença era que não viu os olhos mudando de cor. De certa forma, isso deixou subentendido que Lena sabia que sua amiga é a Matadora de Mundos que está tacando o terror em National City, afinal ela disse com todas as palavras que sabe muito bem o que tem de errado com a Sam.

Infelizmente só vamos ver a continuação dessa descoberta no dia 16 de abril, pois Supergirl entra em hiatus, mas enquanto isso vamos continuar desejando para que sigam conduzindo esse plot da Reign da maneira maravilhosa que estão conduzindo, que Pestilence seja uma Matadora de Mundos tão afrontosa e poderosa quando Reign e Purity, que continuem dividindo o tempo de tela entre esse elenco feminino maravilho que Supergirl tem e que a gente se livre logo do Mon-El. Awomen!