Home Personagem do mês A representatividade de Skyler White na luta contra a misoginia
A representatividade de Skyler White na luta contra a misoginia

A representatividade de Skyler White na luta contra a misoginia

0
0

A coluna Personagem do Mês apresenta quatro textos (um por semana) sobre uma personagem escolhida pela equipe do Séries Por Elas. Esses textos seguem a seguinte lógica:
1ª matéria: conta a trajetória da personagem e explica por que ela mereceu ser a personagem do mês
2ª matéria: mostra o que podemos aprender com a personagem e o que é melhor deixar pra lá
3ª matéria: buscamos inserir a personagem no contexto do blog, fazer link com empoderamento e feminismo
4ª matéria: vamos falar pouco da atriz. Curiosidades, declarações importantes e fofoquinhas saudáveis

Para muito além da grandiosidade e sua relevância para a trama de Breaking Bad, Skyler White se tornou símbolo de empoderamento feminino. Sem querer, a personagem ganhou importância na sempre necessária discussão das questões femininas e feministas ao sofrer a ira machista ao redor do mundo.

Como efeito colateral à sua força, inteligência e independência emocional, a personagem despertou ódio naqueles que não aceitam uma esposa fora do ideal da submissão e subserviência. Pela internet, páginas com nomes como “Eu odeio Skyler White” foram dedicadas aos ataques. As acusações contra Skyler? Não apoiar imediata e incondicionalmente o marido quando ele decidiu se tornar um criminoso. Ter um caso quando tentava se reencontrar e sair do casamento com um homem que se tornou cruel e abusivo. Assumir uma postura de gerenciamento das finanças quando finalmente aceitou a atividade de Walter. E, pasme, até o aumento do peso da atriz.

Isso mesmo, o fato da atriz ter ganhado peso durante a última temporada foi motivo para ódio e ataques contra Skyler e sua intérprete, Anna Gunn. Esse lamentável show de horrores tomou tamanha proporção, que assustou e incomodou a atriz. Ela se posicionou publicamente sobre o assunto algumas vezes, como no artigo que escreveu a respeito, para o jornal New York Times.

No artigo, ela fala que entende que os fãs têm direito de gostar ou não das personagens, mas que como ser humano, ela se preocupa com as razões por trás de tamanha aversão. “Será que eles não podem suportar uma mulher que não vai sofrer em silêncio ou defender seu homem? Que eles a desprezam porque ela não vai recuar ou desistir? Ou porque ela é, de fato, igual a Walter?

Tristemente, todas as suposições de Anna estão corretas. Assim é a misoginia. E se essas pessoas sequer toleram uma personagem fictícia com essas características, como fica para nós mulheres reais? Convivemos diariamente com a intolerância e a injustiça enquanto buscamos afirmar nosso espaço na sociedade. Nos resta seguir firmes e fortes, como Skyler. Certas de nosso valor e de nossa capacidade. Pensando por nós mesmas e agindo pelo nosso coletivo.

Breaking-Bad-Season-3-Skyler-White-breaking-bad-11163267-760-535

Skyler White Representatividade Misoginia

Fabiana Macedo-Castro Canceriana e gaúcha, foi-se embora pra Nova Iorque para viver o amor levando na mala apenas o (filho) cachorro. Produtora, apaixonada pela vida, pelo cinema e pela TV, quer ampliar sua atuação pelo empoderamento das mulheres. Adora saber um pouco de tudo e uma boa conversa fiada, mas tem preguiça de gente chata.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *