2017 foi um ano e tanto para as mulheres no audiovisual. Especialmente  para aquelas que trabalham em séries norte-americanas. A consagração veio com as premiações: foram quatro categorias importantes no Emmy (Melhor Série de Drama, de Comédia, Minissérie e Filme para a TV) e mais três no Globo de Ouro (Série Limitada ou Filme para TV, Série de Drama e Série de Comédia ou Musical) para séries protagonizadas por mulheres fortes e com temáticas feministas. The Handmaid’s Tale, Big Little Lies, Veep e The Marvelous Mrs. Maisel foram os destaques.

O ano também foi marcado por denúncias de assédios enfrentados pelas mulheres à frente e atrás das câmeras. A mobilização Time’s Up uniu atrizes, diretoras, roteiristas e demais profissionais do audiovisual vestindo preto em pleno Globo de Ouro como forma de protesto. Elas querem equidade salarial entre os gêneros, o fim do assédio e mais espaço para mulheres em posições de destaque na indústria do entretenimento. Hollywood está fervilhando e a expectativa para 2018 é que esses discursos se acentuem e gerem mais frutos.

Texto originalmente publicado na Revista TPM.