Contém spoilers!

Se Orphan Black existe, graças a deus ela existe. Se você já assiste sabe como é enlouquecer em todos os episódios se você ainda não assiste se prepare pra ficar loucx. A série conta basicamente a história de clones que lutam pra descobrir suas origens e salvar suas vidas.

Na primeira temporada Sarah Manning esbarra por acaso em um dos clones, a detetive, Beth Childs, que logo em seguida comete um suicídio. A partir daí a vida de Sarah muda completamente, percebendo a sua estranha semelhança com Beth, Sarah decide se passar por Childs para tentar tomar posse do dinheiro contido em sua conta bancária e começar uma nova vida com seu irmão e sua filha, aliás quem nunca né?!
Sarah acaba se envolvendo em uma conspiração que tem como pano de fundo a clonagem humana. Agora, além de continuar com o disfarce de policial, Sarah precisa ajudar suas recém-conhecidas irmãs a sobreviverem de ataques de fanáticos religiosos e descobrirem suas verdadeiras origens.

A segunda temporada começa toda trabalhada na loucura, cada episódio parece uma season finale. Sarah desconfia de que sua mãe adotiva, Siobhan e sua filha, Kira foram sequestradas pela empresa que criou os clones, Dyad e recebe a ajuda de Felix, seu irmão para encontrá-las. Após reencontrar Mrs. S e Kira, Sarah descobre que Siobhan tem muitos segredos relacionados às clones. A segunda temporada traz uma grande surpresa que é o personagem Cal, pai da Kira. Mas ninguém disse que essa temporada seria leve, Rachel, a clone do mal, toma uma surra e as sestras estão todas preocupadas com Cosima que é portadora de uma doença que já matou outras duas clones.

Mas o que realmente choca nessa temporada é a Helena, a sestra que até então acreditamos ser taurina (só isso explica o tanto que ela come), não expressava nenhuma reação humana na primeira, mas na segunda temporada mostrou vários motivos pra ser a nossa favorita. Sua história foi bem mais rica, nos levando a conhecer os Proletheans, uma galera tão estranha quanto o nome, que tinha um tipo de adoração de clones. Helena foi sequestrada duas vezes por eles, que a inseminaram, mas queridos estamos falando de Helena, aqui a periculosidade rola solta.

Quando finalmente Helena se encontra com as outras sestras, ela foge para encontrar seu crush, só que é sequestrada novamente, dessa vez pelos militares. Enquanto isso, Alison, a sestra bela, recatada alcoólatra, traficante e do lar é vigiada pela policia após ter matado sua vizinha por suspeitar que ela fizesse parte da Dyad. Alison começa a beber e é mandada para a rehab. No meio de toda essa confusão, aparece Donnie, o real monitor da Alison, só que ele não tinha noção disso até então. Sentindo-se traído, o marido procura Leekie (chefão da parada toda) para fazer um acerto de contas, só que Donnie acaba acertando um tiro sem querer e mata Leekie e pela primeira vez Donnie faz alguma coisa certa.

Os tiros nessa temporada não acabam aqui, bem no final descobrimos que existem clones homens que acreditamos que foram feito para matar, pois são todos militares, e acaba sendo um gancho pra terceira temporada. Como matar os clones malvados que foram treinados para matar?

Na terceira temporada descobrimos que a mesma falha genética que mata as clones mulheres, também atinge os clones homens. Fica de conhecimento dos Castors (clones masculinos) que a cura para essa doença seja a Sarah ou até mesmo a Kira e no meio dessa confusão toda Kira é sequestrada e Mrs. S arruma um jeito de fazer uma troca, entregando Helena e salvando a neta.

Helena começa a temporada presa no meio do deserto nas instalações dos Castors. Sarah não deixa baixo e logo sai pra salvar sua irmã. A partir daí Helena começa a conversar com um escorpião, totalmente criado pela sua consciência louca que tenta ajudá-la numa maneira de fugir, e fica tirando sarro com a cara de todos. Helena acaba fugindo e deixando Sarah para trás, mas não por muito tempo, pois a consciência pesou e ela voltou pra salvar sua sestra.

Enquanto isso os Hendrix se ligam de que suas vizinhas cheias de grana curte um sintético, e se aproveitam disso pra chantagear as loucas a votar nela para o conselho escolar. Helena que já foi salva começa a morar com os Hendrix ajudando nesses trambiques.

Cosima nessa temporada mostra que é gente como a gente lidando com o fim de seu relacionamento com Delphine (a pobre coitada sofre viu). Felix até tenta ajudar arrumando um date pra amiga. Além de muitos beijos e choros, Cosima continua na luta para encontrar a cura pra essa “doença dos clones”.

Sabemos que os clones são compostos por 2 tipos, os clones masculinos criados pelo projeto Castor, e os clones feminino  criados pelo projeto LEDA. O que descobrimos nessa temporada é que ambos foram clonados da mesma pessoa, a avó da Sarah.

A temporada acaba com todo mundo bem feliz, comemorando em família que estão todos vivos (não por muito tempo). A cena muda para Delphine (crush de todas nós) no estacionamento levando um tiro e acaba a série. O grande mistério continua sendo: Como arrumar uma cura para essa doença dos clones e OMFG SERÁ QUE DELPHINE MORREU?