game of thrones 7×07 review

 

O último episódio da sétima temporada de Game of Thrones foi tudo que era esperado que fosse: bombástico e resolutivo. A essa altura do campeonato, não tem como um series finale ser só mais um episódio – ainda mais um com 80 minutos de duração. E a verdade é que em mais de um sentido esse episódio foi nada mais do que esperávamos. Muitos têm criticado a série por sua previsibilidade nesta temporada. E eu de certa forma concordo. Mas mesmo com acontecimentos previsíveis, não tem como negar a força de um episódio com acontecimentos como estes.

Por isso, vamos primeiro aos comentários a respeito desses acontecimentos principais. Depois podemos falar de pormenores. Aqueles detalhes e sutilezas que saltam aos olhos, uma constante em episódios de Game of Thrones.

 

Cersei e a trégua

Olha, muita gente esperava que Cersei, ao ver um morto-vivo bem ali na sua frente, não fosse dar a mínima e querer executar seus inimigos ali mesmo. Encaixaria na personagem, eu devo admitir. Mas achei muito bacana e apropriado o medo que ela demonstrou, e a quase que imediata decisão de aceitar a trégua com Daenerys. Isso porque a verdade é que nós já estamos acostumados com a visão dos Caminhantes Brancos e seu exército de zumbis. Então foi bom ter uma lembrança de que essas criaturas são sim uma coisa chocante e incrivelmente assustadora.

– Ai, ai. Quê que vocês tanto querem me mostrar? Tô impaciente já.

– TÁ BOM TÁ BOM JÁ ACREDITEI TIRA TIRA TIRA TIRA TIRA

Na real toda essa cena foi muito bem construída, na minha opinião. Todas as partes foram muito críveis. Além disso, a entrada de Daenerys foi triunfal, e me deixou quicando de empolgação no sofá! Bem afrontosa, não fez questão de chegar à reunião na hora marcada. Aliás, falando nesse momento, meu cunhado foi quem soltou a melhor observação: na hora que Cersei reclama do atraso, Daenerys deveria ter justificado que seu vôo atrasou. Hahahaha! Mas enfim, voltando.

Sobre o contratempo de Jon ter negado prometer que não apoiaria Daenerys na guerra contra Cersei, e ela ter negado a trégua nesse momento. Bom, eu achei um pouco enrolação. No final das contas deu no mesmo. Acho que foi somente parar gerar aquela conversa entre ela e Tyrion, que foi legal, na minha opinião. Foi emocionante, de certa forma. E bem interessante vê-la, com a oportunidade de matar Tyrion ali mesmo, não fazendo isso. Aliás, para mim, um dos destaques desse episódio foi Cersei. Para ser sincera, durante toda a temporada eu estava achando ela meio sem graça, insossa, apesar de cruel e impiedosa. Nesse episódio ela foi realmente impactante, como a nossa boa a velha Cersei sempre foi. Adorei ver ela assim.

 

A morte de Mindinho

Esse momento teve um lado positivo e um negativo para mim. O positivo – além do óbvio, que foi finalmente ver o canalha do Mindinho morrer – foi confirmar que Sansa e Arya estavam mesmo tramando contra ele, e que aquelas cenas ridículas de confronto entre as irmãs eram apenas cenas mesmo. Os donos da série se redimiram aí, pois realmente estava bem feio, aquela situação. Em vez disso, as irmãs Stark se uniram e tramaram contra esse cara, que sempre é quem está um passo à frente dos outros, mas não dessa vez. Ah, e é claro, finalmente o Bran foi útil para alguma coisa nessa temporada, não é mesmo? Já estava na hora!

O lado que eu considerei negativo foi a forma como isso aconteceu. Novamente, quando Sansa volta suas acusações para “Lorde Baelish”, fiquei quicando no sofá que nem uma louca. Mas aí, após um pouco de pressão, Mindinho começa a chorar e implorar pela sua vida. E foi muito, mas muito estranho mesmo vê-lo naquela posição. Mas vamos lá. Porque foi estranho? Porque nunca vimos Mindinho perder a compostura assim, ok. E acaba que pareceu um pouco forçada essa reação. Por outro lado, Petyr Baelish é um cara que sempre esteve dois passos à frente de todos, como disse. Até esse momento. Isso significa que até esse momento ele não teve motivos para se humilhar e se desesperar. Por isso essa reação pode ter nos causado estranhamento.

– Eu te imploro, Sonsa pfvr

Porém, eu esperava que Mindinho, mesmo vislumbrando a morte, fosse se portar com mais dignidade, mais sagacidade. Infelizmente, essa cena vai na mesma mão das análises sendo feitas nessa temporada de que a série tenha virado um festival de fanservices. Isto é, que esteja sendo concretizado tudo que os fãs mais gostariam de ver. E o que é um dos nossos maiores desejos? Ver o Mindinho se ferrando lindo, se humilhando, sendo subjugado e ridicularizado. Foi gostoso? Foi. Mas foi menos gostoso porque foi fácil e rápido demais? Para mim também foi. Se eu fosse tornar todo o acontecimento mais crível, eu teria mandado ele antes para uma cela, para esperar sua sentença, onde ele lentamente entraria no estado de desespero, e imploraria pela sua vida mais tarde, antes da execução.

 

Queda da muralha

GELARYS!

É, mano. Uma das teorias mais fortes em relação a essa temporada se concretizou, mesmo que parcialmente. A muralha caiu! Numa cena impressionante, o Rei da Noite vem com seu dragão de gelo e detona com um trecho da muralha para que seu deserto atravesse, em direção ao sul. Não ficou muito claro exatamente o que é que Viserion zumbi cuspia ali, se era gelo, ou se era fogo azul, ou algo diferente. Poderia ser um gelo com propriedades mágicas, o que faria mais sentido no contexto da queda da muralha. Em sua construção, milhares de anos atrás, foi colocada muito magia forte na estrutura da muralha, e somente algo muito poderoso poderia destruir suas fundações. Uma criatura sem precedentes como o dragão zumbi é a premissa perfeita para isso, pois não temos nenhuma base para avaliar se ele teria mesmo essa capacidade ou não, dentro do universo da série ou até mesmo dos livros.

Por isso, não tem muito que discutir a respeito dessa cena, a não sei que foi chocante e intensa. E não tinha como deixar de ser, né gente. Agora, um adendo, vindo de uma pessoa que está prevendo a morte de Thormund desde o início da temporada: se ele não morreu com uma muralha descomunal sucumbindo debaixo dos seus pés, ele não morre mais. Sinceramente, eu amo o Thormund e me dava muita tristeza pensar na morte dele. Mas essa temporada realmente mudou radicalmente os padrões Game of Thrones de mortes de personagens queridos. O novo padrão agora é: praticamente não acontece. E eu acho isso problemático, de certa forma. Isso no sentido de que a série de fato está se tornando uma fanfic – isto é, seguindo sempre no caminho daquilo que a maioria dos fãs deseja. E essa previsibilidade é muita chata. Eu não sei se nesse ponto da série é muito difícil que nós já não tenhamos explorado quase todas as possibilidades em nossas teorias, e por isso seja um pouco inevitável essa previsibilidade. Mas ainda sim, acho que existe uma mudança problemática acontecendo na série, nesse sentido.

 

Jonerys

Pois é, pois é. Aos shippadores de Jonerys de plantão, olha aí que presentão! O casalzinho mais fofinho que GoT já viu finalmente se concretizou. Os dois foram para a cama e o comentário da noite foi: que bunda maravilhosa a do Kit Harrington. Hahaha!

Fora qualquer opinião de se eles deveriam ou não ficar juntos, eu achei bem bonita a cena do sexo entre eles. Primeiro, me fez lembrar de como a nudez sumiu de Game of Thrones. Vocês se lembram que ao ver a série, era preciso tirar as crianças da sala e de preferencia esperar seus pais irem dormir? Gente, era peitinho e sexo explícito direto. Agora a coisa mudou bastante, e só me dei conta disso ao ver Jon e Daenerys, completamente nus, na cama.

O que eu achei interessante foi que logo que os dois aparecem juntos na tela, Daenerys está por cima de Jon, para só então mudarem de posição depois. Isso é bem interessante pois na série em 99% das cenas de sexo, o homem se encontra sempre na posição dominante, exclusivamente. Até mesmo por se tratar de uma série medieval. A cena foi equilibrada nesse sentido e isso me saltou aos olhos. Bem bacana.

Agora, a respeito dos dois ficarem juntos: a essa altura isso já não foi mais surpresa para ninguém, né. Já estava bem claro pelas dicas da séria que isso se concretizaria. Então, para isso, não há muito que dizer. Quem shippava, ficou feliz da vida. Quem detestava a ideia, vai ter que se conformar. E é isso!

 

Jon x Aegon

Que doideira o Sam e o Bran descobrindo juntos a verdade sobre a ascendência do Jon, hein? Eu esperava que isso fosse ser revelado mais lentamente, mas foi quase como um soco na nossa cara. Estamos lá, de boa, chega o Sam e de repente Bran está cuspindo todas as verdades dessa história pra fora. Parece que tudo que ele não falou nessa temporada ele compensou ali naquela cena.

Aquele sentimento de quando você causa uma guerra que dura décadas e incontáveis mortes mas vale a pena pra ficar com o crush

Mas enfim, foi bem legal ver a cena do casamento de Rhaegar e Lyanna. A confirmação de que eles realmente se amavam. Rhaegar com seu cabelinho alla Viserys, bem lindinho. Toda a história explicada para os espectadores. Foi redondinho. Tão redondinho, inclusive, que eu acho que pode dar problema ali na frente. Basicamente, eu acho que foi tão fácil a revelação a Sam – e diante dessa fala do Bran de “ele precisa saber” – que eu acho que vai dar ruim na hora de contar para o Jon. Ou eles não vão conseguir por um tempo, ou ele – ou Danny – não vai aceitar de bom grado. Enfim, algum ruim eu acho que vai dar. Vamos aguardar para ver qual (e se) será.

Sobre o nome: inesperada essa parada dele se chamar Aegon! Eu não sei que relevância isso pode ter na vida de Jon, ou na série de uma forma geral, mas é intrigante. Para quem não está ligado nos paranauês do passado de Westeros, Aegon era o nome do primeiro Targaryen que chegou a Westeros, com suas duas irmãs/esposas e três dragões, para conquistar as terras e iniciar a dinastia Targaryen no trono dos Sete Reinos. O fato de Jon ter ganhado seu nome pode ter alguma relevância mística e bem louca pra série? Pode. Mas pode simplesmente ser uma homenagem a um grande ancestral da casa, e também os Targaryen têm muito pouca criatividade para nomes, claramente. Então pode não significar nada também.

Agora alguns detalhes que eu quero muito pontuar!

 

Os olhos do Montanha zumbi

Em uma das primeiras cenas do encontro diplomático de Porto Real, o Cão confronta seu irmão, Sor Gregor, falando na cara dele que o que quer que ele tenha passado pra ficar daquele jeito, tem coisa pior vindo por aí – isto é, ele mesmo, Sandor Clegane, vindo matar seu irmão para se vingar das coisas horríveis que ele fez na infância dos dois. Isso é um sinal claro de que deve acontecer uma teoria muito popular entre os fãs, o “Clegane Bowl” – uma referência ao Super Bowl, o campeonato de futebol americano mais famoso dos Estados Unidos – um confronto épico de batalha entre os irmãos Clegane. As teorias dizem que eles devem se enfrentar num julgamento por combate, representando outras pessoas. Eu acho bem possível e legal, pois uma luta entre eles sem uma platéia seria um desperdício.

Mas o que eu quero observar é: eles nunca tinham mostrado os olhos do Montanha zumbi com tanto detalhamento. Nossa, o estado dele é muito chocante. Fiquei curiosíssima para ver debaixo daquele elmo, gente, mas deve ser algo tão bizarro que nem sei se vão mesmo mostrar. Para quem não lembra, o Montanha, quando matou o Oberyn em combate, iria morrer dos ferimentos que sofreu ali. Mas Qyburn fez umas doideiras científicas e místicas com ele lá e ele ficou vivo, porém meio morto. Aliás, falando no Qyburn, quem achou engraçadíssimo o interesse dele na amostra de zumbi? Hahaha. Ele deve ter amado, e ficado intrigadíssimo. Já gosta dessas coisas bizarras. Esse cara é bizarro.

 

Daenerys e filhos

Até agora havia uma certeza na série: Daenerys não pode mais ter filhos. Já havia sido questionado se Mirri Maz Dur, a feiticeira que desgraçou com Drogo, poderia ter mentido sobre a esterilidade de Daenerys, ou se isso possa ter sido revertido. Mas realmente até agora isso era só uma teoria. Mas agora que Jon jogou essa pala de que ela pode estar errada sobre isso, e vendo o caminho de previsibilidade que a série tem seguido, é quase certo que isso será revertido, e Daenerys poderá, sim, ter um filho. Com Jon Snow/Targaryen, é claro. Eu acho que ela foi infértil sim, e acabará tendo a situação revertida, se ela puder de fato ter um filho. Pois olha por quanto tempo ela ficou dormindo com Daario Naharis, provavelmente sem se preocupar com isso, e nada de engravidar, não é mesmo?

 

“Talvez tudo no final das contas se resuma a pintos”

Sor Jaime fez uma síntese da sociedade patriarcal ali, na primeira cena do episódio.

 

Podric e Tyrion

Mais um reencontro entre personagens que se conheceram e viveram coisas juntos há muitas temporadas atrás. Essa está sendo a temporada dos reencontros e remembers, e aí está mais um: Podric e Tyrion, que lutaram juntos na Batalha da Água Negra. Foi bem lembrada, a relação deles!

 

Theon levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima

Aeee, finalmenteeee! Theon resolve tomar tento e ir tentar salvar sua irmã, assim como ela tentou salvá-lo de Ramsay. Quando Euron sequestrou Yara, Theon regrediu ao tempo em que era Fedor, diante daquela situação de estresse, e fugiu igual a um bichinho assustado. Depois que ele bateu naquele cara até a morte, pudemos ver que ele finalmente deixou cem porcento de ser o Fedor, para voltar a ser Theon Greyjoy, apenas com a diferença de que não adianta mais você tentar derrubá-lo dando um chute no saco. Bem vindo de volta, Theonzinho! Vai lá atrás da sua irmã, aquela sapatão que a gente ama tanto!

 

Jaime

No final do episódio, testemunhamos um rompimento muito louco entre Cersei e Jaime. Pela primeira vez em muito tempo ele sai da posição de subordinação a ela, e foge para ir lutar a batalha contra os mortos. Porém, ele foi sozinho, sem sequer um pequeno exército. O que ele pretende? Ir encontrar Brienne? Se aliar a Daenerys? Ficar viajando sem rumo? Não sabemos, porém foi bem legal ver ele se rebelando, e se decepcionando tanto com a irmã/amante, no auge de sua arrogância, se recusando a ir lutar na Grande Guerra.

Para mim, isso é um indício do cumprimento da profecia do “valonqar”. Essa profecia faz parte daquelas previsões que Cersei recebe de uma feiticeira quando é criança, dizendo que seus filhos iriam morrer, etc. A teoria não aparece na série, mas muita gente acha que ela pode se cumprir mesmo assim. A profecia diz que Cersei seria assassinada pelo “valonqa”, que meio que quer dizer “irmãozinho” ou “filho mais novo”. Isso deixa muito em aberto, pois mesmo pode ser um irmão mais novo dela (Tyrion ou Jaime, que nasceu um pouco depois dela, mesmo sendo gêmeos), o até pode ser qualquer irmão mais novo de alguém, como Sandor Clegane, por exemplo. Me deu a impressão ali de que Jaime pode ser aquele que vai matar Cersei. Acho a ideia atraente e poética. Além de um fim digno para Cersei, de certa forma.

#desenganado

 

Sobre a temporada de uma forma geral, achei agradável. Não deixou a desejar em matéria de empolgação, e nos satisfez em muitas coisas. Achei uma obra prima em relação às outras? Nem de longe. Mas continua sendo uma série épica e que nos deixa extasiados todo domingo a noite. Agora, minhas amigas e amigos, é esperar que a próxima temporada venha antes do previsto. É possível que ela saia somente em 2019, mas isso não está escrito em pedra – pelo menos ainda não. Eu acho uma violência essa demora, sinceramente. Mas só podemos torcer que a HBO tenha misericórdia com a gente  e adiante essa última temporada de uma vez! É o jeito.