Home Girl Power! O Emmy 2017 e a consagração das mulheres na TV!
O Emmy 2017 e a consagração das mulheres na TV!

O Emmy 2017 e a consagração das mulheres na TV!

0
0

emmy 2017 mulheres

Antes do Emmy Awards 2017 ir ao ar talvez a gente ainda não tivesse percebido com tanta clareza como 2017 estava/está sendo o ano das mulheres nas produções audiovisuais televisivas. É claro que acompanhamos todos os lançamentos, falamos deles de forma individualizada e sabíamos que as produções focadas nas mulheres tem ganhado cada vez mais destaque, mas nada poderia se comparar à consagração feminina que foi a premiação que foi ao ar no último domingo (17), bem na nossa cara!

Quatro categorias importantes. Quatro premiações para séries que retratam universos femininos:

  • Melhor Série Drama para The Handmaid’s Tale,
  • Melhor Série de Comédia para Veep,
  • Melhor Minissérie para Big Little Lies,
  • Melhor Filme de TV para San Junipero, a delicada e menos perturbadora história de Black Mirror. E não para por aí!

A cerimônia quebrou padrões: Lena Waithe tornou-se a primeira mulher negra a vencer o prêmio de Melhor Roteiro em Série de Comédia; Elisabeth Moss ganhou o Emmy pela primeira vez após seis indicações por Mad Men e uma por Top of The Lake; Julia Louis-Dreyfus ganhou o seu sexto Emmy consecutivo pela série da HBO Veep; Reed Morano levou o Emmy de Melhor Direção de Série Dramática por The Handmaid’s Tale, encerrando assim um jejum de 22 anos para as mulheres nesta categoria da premiação. E, novamente, não para por aí!

Elenco de The Handmaid’s Tale. Sorriso no rosto daquelas pessoas que sabem que são donas do mundo!

Além da premiação em si, pudemos assistir – e comemorar – com cada mulher forte e poderosa que engrandeceu o evento falando verdades sobre a posição feminina na indústria televisiva ou sobre o cenário político do país e do mundo. As mulheres reivindicaram mais espaço na frente e atrás das telas, exigiram mais papeis femininos e se posicionaram abertamente contra o machismo e a opressão.

Nicole Kidman e Reese Witherspoon, ao subirem ao palco para agradecer à premiação de Big Little Lies na categoria de Melhor Minissérie, fizeram um apelo para que cada vez mais mulheres tenham espaço nas produções. “Este foi um ano incrível para as mulheres na televisão”, disse Reese fazendo referência à quantidade de produções protagonizadas por personagens femininas. “Tragam mulheres para o centro de suas próprias histórias e façam delas as heroínas de suas próprias histórias”, afirmou Reese.

A minissérie também consagrou Kidman com o primeiro Emmy de sua carreira e em seu agradecimento ela fez questão de exemplificar a importância do protagonismo feminino. “Jogamos luz sobre a violência doméstica. É uma doença complicada e traiçoeira que existe mais do que nós mesmas nos permitimos perceber”, disse a atriz que interpreta uma dona de casa de classe média alta que é agredida pelo marido.

Laura Dern, vencedora na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante em minissérie pelo seu papel em Big Little Lies, reforçou o coro da necessidade de haver mulheres ocupando mais espaços na indústria da televisão. “Estou nesta indústria desde os 11 anos e apenas trabalhei com 12 mulheres neste tempo todo”.

Veep, um sucesso absoluto produzido pela HBO e focado na vida de uma mulher na política com muito humor, apesar do anúncio de estar caminhando para sua sétima e última temporada levou a estatueta recorde. Julia Louis-Dreyfus merecidamente tornou-se a única artista (homem ou mulher) a ganhar seis troféus consecutivos pela mesma personagem.

Lily Tomlin e Jane Fonda, nossas queridas protagonistas de Grace and Frankie, nem precisaram ganhar algum troféu para colocar a boca no trombone. Ao lado da lendária Dolly Parton para uma reunião do elenco de Como Eliminar Seu Chefe, Fonda disse: Em 1980, naquele filme, nós nos recusamos a ser controladas por um machista, egoísta, mentiroso, hipócrita, intolerante”. “E em 2017”, completou Lily Tomlin, “ainda nos recusamos a ser controladas por um machista, egoísta, mentiroso, hipócrita, intolerante”. Sem dúvidas, essa foi a menção mais forte feita ao presidente dos Estados Unidos Donald Trump durante o evento.

 “Ainda nos recusamos a sermos controladas por um machista, egoísta, mentiroso, hipócrita, intolerante”

San Junipero, o episódio mais fofinho – e único fofinho! – de Black Mirror ter sido campeão também na categoria Filme Para Televisão também é uma vitória para as mulheres e, principalmente, para as mulheres lésbicas. Representatividade importa, mores. E importa muito! Por falar nisso, se essa edição do Emmy serviu para desconstruir diversos padrões, vem mais um por aí: aquela ideia ridícula e meticulosamente construída de que as mulheres ~estão sempre competindo entre si, que não conseguem ser amigas. Socorro dessa balela!

Elenco maravilhoso de big Little Lies. ~Se juntas já causa, imagina juntas…~

Provando o contrário, foi lindo ver a Nicole Kidman agradecendo e dividindo o prêmio com a Reese pela parceria em Big Little Lies e assistir a Reed Morano dizendo que a Elisabeth Moss é a sua maior inspiração. Na categoria Minissérie/Série Limitada, além da série vencedora, a disputa também foi marcada pelo poder feminino em peso com a dobradinha entre Nicole e Reese com Big Little Lies e Jéssica Lange e Susan Sarandon por Feud.

Como se não bastasse tudo isso, tanto amor, tanto poder feminino, ainda tivemos uma força da natureza chamada Margaret Atwood no palco, junto do elenco da série do ano, para receber a premiação mais cobiçada. Que surpresa maravilhosa! A presença da escritora da obra inspiradora da grande campeã da noite, The Handmaid’s Tale, significou muito e ver o diretor do show, Bruce Miller, mandando todo mundo pra casa “porque ainda temos muito o que lutar” foi poderoso.

Lena Waithe, de Master of None, ao ganhar o Emmy na categoria de Melhor Roteiro de Série de Comédia, prêmio dividido com o colega Aziz Ansari, se referiu à sua “família LGBT” e disse que “as coisas que nos fazem diferentes são nossos superpoderes”. Waithe finalizou:

“Obrigada por acolher um pequeno menino indiano da Carolina do Sul e uma mulher LGBT negra do Sul de Chicago”

Mas nem tudo são flores e nós PRECISAMOS continuar batendo na tecla de que é necessário ampliar urgentemente, o quanto antes, com a máxima rapidez possível a representação de diferentes mulheres na televisão. Viola Davis cantou essa pedra em seu discurso ao vencer o Emmy em 2015 e nós não podemos nos cansar dela. Tivemos alguma diversidade aqui e ali, mas continuamos majoritariamente premiando mulheres brancas sendo dirigidas por homens brancos. Estamos atentas!

A importância de assistir séries protagonizadas por mulheres!

Nós do Séries Por Elas vivemos falando isso: não adianta que a gente queira alcançar uma representatividade feminina ideal se não, efetivamente, começarmos a assistir séries lideradas por mulheres, seja na atuação ou por trás das telas. Tem que ser assim no cinema, na TV, na literatura e em toda forma de expressão cultural.

O Emmy 2017 consagrou o que já sentíamos, mas é preciso agir estrategicamente para que as mulheres tenham cada vez mais seus trabalhos bem sucedidos. Há uma forte campanha na internet chamada #LeiaMulheres e nós gostaríamos muito que #AssistaMulheres também fosse à frente. é preciso exaltar as mulheres em toda a sua diversidade: mulheres negras, latinas, lésbicas e bissexuais, mulheres trans e travestis, mulheres pertencentes a qualquer minoria, qualquer grupo etnico-racial. É preciso dar voz e então veremos que o céu é o limite para o poder feminino!

Confira a lista completa, divulgada pelo portal Mulher no Cinema, com o nome de todas as mulheres que ganharam o Emmy 2017:

Direção em série dramática
Reed Morano, por The Handmaid’s Tale

Roteiro de série de comédia
Lena Waithe, por Master of None

Roteiro de série de varierdades
Jill Twiss e Juli Weiner, por Last Week Tonight with John Oliver

Série de drama
The Handmaid’s Tale
Mulheres na produção: Fran Sears, Ilene Chaiken, Sheila Hockin, Kira Snyder, Elisabeth Moss, Leila Gerstein.

Série de comédia
Veep
Mulheres na produção: Julia Louis-Dreyfus, Georgia Pritchett, Jennifer Crittenden, Gabrielle Allan, Rachel Axler.

Minissérie
Big Little Lies
Mulheres na produção: Reese Witherspoon, Bruna Papandrea, Nicole Kidman, Barbara A. Hall.

Filme para a televisão
Black Mirror: San Junipero
Mulheres na produção: Annabel Jones e Laurie Borg

Reality show
The Voice
Mulheres na produção: Audrey Morrisey, Kyra Thompson, Amanda Zucker, Anthea Bhargava,May Johnson, Ashley Baumann-Sylvester,Brittany Martin Porter, Kyley Tucker, Amanda Silva Borden.

Talk show
Last Week Tonight with John Oliver
Mulheres na produção: Liz Stanton

Programa de esquetes
Saturday Night Live
Mulheres na produção: Lindsay Shookus

Carolina Maria Jornalista, feminista-esquerdista-bolivariana, cegamente apaixonada por alguns personagens de seriados e sonhadora convicta. Aprendeu com as séries a importância da representatividade e nunca mais quis parar de falar sobre isso.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *