Home Séries Chicago Justice Chicago Justice 1×08 – Lily’s Law
Chicago Justice 1×08 – Lily’s Law

Chicago Justice 1×08 – Lily’s Law

0
0

Eu, que andava meio descrente com Chicago Justice, ganhei um belo cala a boca e quase me arrependi por ter demorado tanto para assistir a esse episódio. Às voltas em um caso que mistura suicídio e abuso psicológico, temas que andam sendo bastante debatidos, esse episódio com certeza pode encabeçar o meu Top 5 facilmente.

Parece que sempre batemos na mesma tecla: abuso psicológico existe SIM! E, às vezes, ele pode marcar mais do que qualquer outro tipo de violência. Como dito no episódio: “hematomas desaparecem. Ossos se curam. Humilhação é pra sempre“. E isso, em algum momento, pode ser gatilho para um suicídio ou para várias tentativas frustadas. Pode parecer assunto de momento ou que todo mundo está querendo pegar carona no sucesso de 13 Reasons Why. Mas isso acontece com pessoas de todas as idades, em diferentes situações, e quanto mais for debatido, melhor.

O jeito como o Peter abraçou a causa, a fragilidade que ele demostrou em alguns momentos, foi importante para o desenrolar do episódio. A frustração dele no final foi inegável e eu dei um berro não acreditando no que a juíza estava fazendo. Ponto para o Peter, que ganhou o direito de ser dono de mais alguns episódios. Ponto também para Anna, que mesmo descrente foi fundo nas provas e ajudou a construir o caso.

A parceria da Nagel e Antônio ganhando destaque também me deixa animada. Eu gosto dessa camaradagem de ‘pais separados’ que surgiu entre os dois. Gostei de ver a Nagel abrindo os olhos da Anna e dando um choque de realidade em situações envolvendo pais e filhos. Mas a única pessoa que é quase impossível de aturar é o Mark. Aquele ar Mestre dos Magos dele me irrita demais. Nunca sei quando ele quer ajudar ou tá lá só para atrapalhar.

Confira a promo do próximo episódio:

Liz Serpa Liz, carioca made in Brasília em 1986. Maratonista de séries, pós-graduada em cultura inútil, nerd, leitora, jogadora, boa ouvinte e um tanto perdida.

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *