Atlanta estreou ano passado cheia de ótimas críticas e voltou a chamar atenção esse ano, por conta das inúmeras indicações à premiações, incluindo o Emmy. Então, mesmo que eu tenho chegado atrasada para assistir essa série, que já não é estreia faz tempo, ainda é tempo de recomendá-la para o mundo antes da segunda temporada.

Atlanta segue a vida de Earn, que largou a faculdade e vive de bicos, tentando ajudar a sustentar sua filha com dificuldade. Quando seu primo, Paper Boi, ganha sucesso repentino fazendo rap, Earn decide agenciar sua carreira.

Aqui vão alguns motivos para assistir essa maravilha:

1 – Protagonismo negro

Com um elenco formado quase que exclusivamente por atores negros, Atlanta põe a vida do afro americano em primeiro plano. Com negros não só na frente, mas também por trás das câmeras, a autenticidade e humanidade de seus personagens e suas histórias vão muito além da cor de pele. A série parece estar pouco se importando com os estereótipos associados ao rap e a homens negros. A violência de Atlanta e do mundo musical em que eles vivem é explorada sem medo e ao mesmo tempo, sem definir os personagens que vivem naquele meio. É uma narrativa surpreendente a do rapper negro que sim, carrega uma arma e vende drogas. Porém sua vida não é definida de forma alguma por isso. A série não é sobre isso, a série é sobre música, amizade e amadurecimento.

2 – Um humor muito específico

Atlanta é um daquelas séries de comédia que são meio que só sobre a vida. Ela é muito casual e sua história é sobre o cotidiano dos seus personagens. De certa forma, seu formato lembra muito uma série também do ano passado, Master Of None. Mas quando o assunto é comédia, o humor de Atlanta é extremamente específico. De críticas sociais envoltas em humor a piadas casuais quase que internas entre você e os personagens, até o humor mais nonsense possível, Atlanta tem comédia pra todos os gostos. Meus momentos cômicos favoritos são os nonsense. Quando uma série sai da sua narrativa pé no chão do dia a dia do rapper em Atlanta e enfia um carro invisível no meio e nada muda, só toca a narrativa pra frente, é sinal de no mínimo coragem. E eu aprecio humor corajoso.

3 – Trilha sonora

Já que a história é sobre rap em Atlanta, nada mais justo do que a trilha sonora ter uma participação fortíssima. Tem rap de todas as eras, de crítica social a só sobre a vida. Não tem como amantes de rap não ficarem satisfeitos com uma trilha dessas. Em Atlanta a música é quase um quarto protagonista. Ela é extremamente importante para a imersão do espectador na vida dos personagens. Muitas vezes, as músicas que escutamos são as mesmas que eles escutam em seus fones de ouvido. Também é muito importante para dar o tom da série, que é arte e crítica social, mas também é casual, bem humorada e cheia de realidade pra contar.

4 – Os episódios só tem 30 minutos

 

Eu não sei vocês, mas depois que a Netflix bombardeou o mercado com séries de 50 minutos, toda vez que eu vejo uma série de só meia horinha por episódio eu agradeço a todos os deuses e entidades possíveis. É possível contar narrativas interessantes e com abordagem artística em menos de uma hora, minha gente, e Atlanta é prova! Nos primeiros episódios a curta duração chega a pegar o espectador de surpresa, mas a vibe de acabar de repente passa a servir muito bem ao estilo da série. A vida real é assim, sem cliffhangers ou grandes finais em que todos nos levantamos e aplaudimos. Os finais casuais de episódios curtinhos tem tudo a ver com a casualidade de Atlanta.

5 – Donald Glover, eu escolhi te amar!

 

Donald Glover tem tido ótimos anos. Ele dubla o Miles Morales na animação do Ultimate Spider-Man, vai ser o jovem Lando Calrissian no spin-off do Han Solo de Star Wars, vai ser o Simba no novo remake de Rei Leão. A carreira de rapper dele como Childish Gambino fica cada vez melhor. Muita coisa aconteceu pra ele desde a época de Community. E eu só posso dizer que é merecidíssmo! Ele é o maior motivo porque Atlanta é essa série maravilhosa. Glover é o criador da série, dirige e roteiriza episódios.

Extremamente carismático e fácil de se identificar no papel de Earn, não posso poupar elogios. Ele está cheio de indicações à prêmios, já ganhou um monte de outros prêmios pela série e segue trabalhando mais e mais. É maravilhoso ter essa força criativa em forma de Donald Glover desafiando os estereótipos de hipermasculinidade e masculinidade tóxica, tão esperadas de homens negros. Ocupa mais a cultura pop que tá pouco, Donald!

Eu poderia ficar aqui o dia todo listando motivos pelo qual Atlanta é uma série que precisa ser assistida, mas nesse ponto eu só posso dizer que é necessário dar suporte para séries verdadeiramente criativas e inclusivas nesse momento em que temos tanto conteúdo seriado disponível. Atlanta é diferente de qualquer outra série que você já tenha visto. Seu sucesso abre espaço para muito mais tipos de histórias serem contadas das formas mais inventivas possíveis.

Atlanta